BRUXARIA TRADICIONAL E O CULTO AOS DEMÔNIOS

BRUXARIA TRADICIONAL E O CULTO AOS DEMÔNIOS

BRUXARIA TRADICIONAL E O CULTO AOS DEMÔNIOS

 
A Bruxaria Tradicional esta ligada ao culto de demônios? A primeira questão a ser desenvolvida esta no entendimento dos procedimentos de “demonização”, para uma sociedade influenciada pela religiosidade cristã, qualquer culto espírita já estaria conceituado como culto ao demônio.
 
Para entendermos melhor esta questão devemos analisar que a humanidade, como um todo, necessita para seu julgo comparar atributos que lhe são comuns, portanto alguma entidade de chifres perante nossa sociedade moderna daria a visão de algo inferior ou malévolo, entretanto para os estudiosos das crenças pagãs, estes atributos poderiam estar vinculados às questões simbólicas de caça, sexo ou força da natureza e não simplesmente uma qualificação, de seres ligados ao diabo ou ser o próprio, dada em específico aos dogmas cristãos.
Como encontramos na literatura folclórica, muitos seres da natureza eram representantes ou mensageiros de algum fenômeno climático, temos no folclore asturiano a figura do Nuberu, por exemplo, que são seres ligados à neblina, a chuva e a neve, portanto ao mesmo tempo em que as pessoas cultuavam a estes seres fazendo-lhes oferendas, existia o medo de que estas entidades se zangassem e trouxessem os problemas climáticos e atrapalhassem nas plantações, sendo assim com a vinda posterior das crenças cristãs estas entidades foram demonizadas, ou seja, o que era algo comum às crenças pagãs se tornou através de uma visão religiosa diferente, um meio de caracterizar a tudo que a humanidade não entendia ou dominava como demônios, e assim, encontramos na promessa católica um protetor benevolente e salvador, promovendo o desenvolvimento do dualismo, “bem versus mal”, espiritualidade que não era comum nas crenças pré-cristãs.
 
E qual o nosso objetivo como tradicionalistas? Eis uma questão que sempre devemos ter em mente! Acreditamos na preservação de culto, de folclore, de costumes retirando à influências cristãs, e assim dar uma perspectiva que de longe seria algo ligado a demonologia tão ministrada por grupos cristãos e anti-cristãos, bem como retirar os disfarces do sincretismo religioso tão bem defendido por linhas modernas ecléticas.
 
 
 
 
 
Não é atributo originário da Bruxaria Tradicional o aprendizado da demonologia, tal como não é da astrologia ou tarologia, estas são práticas mágicas que estão abertas a qualquer interessado em magia. Estamos cientes da mistura existente entre crenças cristãs e pagãs que foram acontecendo a partir da Idade Média, contudo a visão da Bruxaria Tradicional foca os seus "diversos ofícios/ trabalhos" no período antigo, anterior as influências cristãs, tal como trata essas crenças como religião* (palavra que também qualifica como culto a divindades).
 
Para a grande maioria dos bruxos tradicionais, dedicados e focados exclusivamente nesse caminho, o contato com o mundo espiritual é natural, é fluídico, independente se as divindades, se os seres espirituais são humanóides ou zoomórficos, se são bonitos aos nossos olhos, pois devemos ir além das aparências, ir de encontro ao caminho sábio.
 
Portanto bruxos não acreditam em demônios, acreditam na diversidade espiritual, entretanto devemos considerar que crença é diferente de culto, e nós tradicionalistas cultuamos o folclore raiz de nossa terra, de nosso casa