CONHEÇA A TERAPIA DE REGRESSÃO

CONHEÇA A TERAPIA DE REGRESSÃO

CONHEÇA A TERAPIA DE REGRESSÃO

Uma viagem no tempo, uma autodescoberta profunda, uma oportunidade de solucionar bloqueios antigos... Saiba como funciona a terapia de regressão, um dos fenômenos mais polêmicos – e curiosos – da hipnoterapia

 

Texto • Carine Portela e Erica Franquilino

Que tal poder voltar no tempo e descobrir a causa de traumas e fobias? Ou, ainda, ter a chance de reviver o passado e evitar o surgimento de bloqueios e frustrações? Parece sonho? Não está tão longe de ser (afinal, envolve o subconsciente), mas é um sonho bem real. É isso o que propõe a terapia de regressão, uma das técnicas da hipnose clínica mais discutidas e estudadas em todo o mundo.

De acordo com seus defensores, a regressão não só permite o acesso a informações armazenadas na memória profunda do paciente, como as traz para a superfície, utilizando-as para eliminar as causas de dificuldades emocionais, físicas e mentais. Isso só é possível porque, durante o estado de transe, o paciente fica livre de resistências e mecanismos de defesa, aceitando estímulos que o levam de volta a momentos marcantes da vida.
 

De volta para o passado

Segundo os especialistas, a viagem no tempo que ocorre em uma sessão de regressão é mais real do que podemos imaginar. “O paciente não vai simplesmente recordar fatos, mas sim vivenciá-los, como se estivessem acontecendo naquele momento”, explica Marco Natali, presidente da Sociedade Brasileira de Hipnoterapia e Regressão. Durante a experiência, é comum que o indivíduo regredido se comporte da mesma forma que costumava fazer quando tinha a idade para a qual foi “transportado”, modificando até mesmo sua forma de pensar, falar e agir.

“A regressão de idade acaba sendo muito confundida com a hipermnésia, que ocorre quando temos lembranças nítidas do passado, mas tendo a noção de que é passado”, esclarece o psicólogo e hipnoterapeuta Odair J. Comin (saiba mais sobre o fenômeno da hipermnésia no quadro ao final da matéria). “Se um indivíduo relatar fatos que aconteceram quando ele tinha seis meses de idade, ou mesmo de quando ele ainda estava no útero materno, isso só pode ser uma hipermnésia, já que naquela época o sujeito ainda não sabia falar. Se fosse uma regressão de idade, o que poderíamos ter seriam apenas expressões corporais e alguns sons característicos, como o choro, por exemplo”, completa Comin.

Muitos especialistas fazem questão de lembrar que, exatamente por envolver uma experiência tão intensa, a terapia de regressão pode ser contra-indicada em alguns casos. “Quando alguém é regredido até um episódio traumático, sofre novamente, como da primeira vez”, diz a psicóloga e hipnoterapeuta Adriana de Araújo. “A regressão envolve um processo delicado, só utilizado se o paciente não conseguir encontrar a causa do seu problema por meio do uso de outras técnicas da hipnoterapia”, completa Natali. 

 

Além da vida

Para os mais céticos, voltar no tempo e reviver acontecimentos marcantes da adolescência, infância, nascimento e, até mesmo, da vida intra-uterina, pode parecer uma jornada além da imaginação, mas os hipnoterapeutas descrevem experiências ainda mais surpreendentes: as regressões a vidas passadas.

Embora a existência de outras vidas não seja cientificamente comprovada, especialistas em hipnose de todo o mundo narram inúmeros casos em que um paciente revive, com grande riqueza de detalhes, uma outra existência. De acordo com médicos e pesquisadores que se dedicam ao tema, cabe ao profissional que ouve o relato de uma situação vivida em outra época a tarefa de estabelecer o limite entre fantasia e realidade.

Aqui é interessante notar que, independentemente de ser fruto da imaginação ou de fazer parte de uma outra existência, qualquer relato é considerado válido desde que ajude na resolução dos problemas do paciente. Em geral, as vivências de vidas passadas podem ser úteis na medida em que propiciam uma visão global da personalidade do indivíduo, revelando tanto experiências positivas, que podem ser reforçadas, como negativas, que devem ser trabalhadas para que não se repitam mais.

Se você quiser experimentar, lembre-se de ter paciência: nem sempre as imagens de vidas passadas aparecem para todas as pessoas e, muito raramente, surgem logo nas primeiras sessões.
 

Hipermnésia: fortes recordações

Muitas vezes confundida com a regressão, a hipermnésia é o fenômeno caracterizado pelo aumento da capacidade de lembrar os fatos do passado, recente ou remoto. Quando ele é induzido pelo hipnólogo, lembranças casuais são evocadas com muito mais vivacidade e exatidão do que estamos acostumados, aflorando detalhes a que normalmente não temos acesso. Por ser muito mais fácil de ser colocada em prática do que a regressão, a técnica é bastante comum nos consultórios de hipnoterapia.

A administradora de empresas Vanda Eugenia dos Santos é um exemplo de quem foi beneficiado com a técnica: aos 39 anos, ela sentia pânico só de imaginar que teria de falar em público. Longe do estereótipo da moça tímida, ela sempre teve consciência dessa limitação e sabia que a origem do problema estava na infância. Na primeira sessão com o hipnoterapeuta, o transe a levou aos tempos de menina, exatamente no lugar onde um fato marcante aconteceu. “Não perdi a noção de onde estava em nenhum momento, mas me vi criança, voltei àquele lugar”, diz a administradora.

Em quatro meses de tratamento com a hipermnésia, Vanda já começou a sentir sinais de melhora. “Recentemente falei para gerentes do Brasil inteiro e, o melhor, com naturalidade”, comemora a administradora, que ainda espera passar pelo fenômeno da regressão de idade, para voltar, de fato, ao cenário e à idade que guardam o seu X da questão.

 Fonte: Triada.com.br