DORES NAS COSTAS? MASSAGEM ORIENTAL!

DORES NAS COSTAS? MASSAGEM ORIENTAL!

DORES NAS COSTAS? MASSAGEM ORIENTAL!

Terapia alternativa natural de eficácia, o shiatsu é um aliado e tanto para o combate de dores nas costas. Ficou interessado? Então, entregue-se a esta poderosa massagem oriental

 

Texto • Paula Bianca de Oliveira


 

“Pressão dos dedos”. Essa é a tradução literal da palavra shiatsu, que dá nome à massagem terapêutica desenvolvida há centenas de anos por povos japoneses. Oriundo da acupuntura, o shiatsu trabalha em função do equilíbrio energético do nosso corpo – também chamado de “energia vital” ou simplesmente “chi” –, seguindo os mesmos meridianos e pontos trabalhados nos tratamentos com as finíssimas agulhas da acupuntura.

"O shiatsu pensa no organismo como um todo, pois tudo em nosso corpo está inter-relacionado”, diz José Albino Gonçalves Filho, coordenador da Shiozawa Shiatsu Escola e responsável pelo departamento de shiatsu da Academia Competition (unidade Oscar Freire), em São Paulo. 

Especificamente para dor nas costas, o shiatsu trabalha desde a base da occipital (parte posterior da cabeça próxima à nuca) até o cóccix, passando pelos músculos que ficam nas laterais da coluna vertebral. "No dia a dia, é comum contrairmos os músculos das costas, mesmo que involuntariamente. Em função do nosso próprio comportamento ou da rotina, vamos acumulando essas tensões e, na hora em que abrimos a guarda, a dor aparece”, afirma Albino.

Por isso, é importante tratar a dor antes que ela se intensifique ou, se for possível, antes mesmo de ela aparecer. Como uma massagem preventiva – o que não significa que não cure um determinado tipo de dor –, o shiatsu é conhecido por soltar nossa energia vital, deixando o organismo livre para criar seus próprios mecanismos de defesa. “É como limpar o leito de um rio para que a água possa fluir pura ao longo dele”, compara o shiatsuterapeuta.

 

 

Reequilíbrio passo a passo

Em 9 etapas, descubra como acontece uma sessão de shiatsu com o objetivo de aliviar desconfortos nas costas e entenda como esta terapia encara a região.


 

 Independentemente de onde esteja localizada a dor, a técnica trabalha as costas como um todo, massageando toda a musculatura. Para começar, são feitos movimentos de pressão com as pontas dos dedos nas extremidades da coluna, partindo da área do cóccix até o início da occipital. Vale lembrar que, além dos dedos, no shiatsu pode-se utilizar os antebraços, cotovelos e, com muito critério, até os pés – quando o paciente pode deitar-se no solo.

 Como nossa coluna é cheia de comandos, o shiatsu trabalha as regiões diretamente ligadas a ela, procurando liberar a energia acumulada nesses pontos. Primeiramente, aplica-se uma pressão com a ponta dos dedos em toda a área das costas paralela à coluna, a uma distância de dois dedos; depois, repete-se o processo, mas a um palmo de distância. “A coluna é o nosso meio de comunicação com o corpo inteiro, pois nela estão os nossos neurotransmissores e receptores”, explica Albino. 

 Assim como acontece nas massagens tradicionais, também é feito o chamado “amassamento” ao longo de toda região das costas. Deve-se lembrar apenas que, no shiatsu, todos os movimentos são feitos considerando-se os mesmos pontos e meridianos trabalhados na acupuntura.

 Pressão de dedos também na área do trapézio, para tentar “soltar” a musculatura intercostal – aquela que protege as vértebras.

 Quando se trata de uma dor específica, essa área recebe mais atenção, inclusive com alongamento. “O shiatsu, de certa forma, funciona como uma espécie de alongamento. Porque quando fazemos a pressão sobre uma determinada região, acontece ali o que podemos chamar de micro alongamento”, define o terapeuta.

 Muitas vezes, o paciente está com uma dor tão grande, que não aguenta a manipulação na região. Assim, só é possível trabalhar áreas correlatas. No caso de uma dor aguda na lombar, por exemplo, o massagista pode se concentrar nos extremos, como na base da cervical, na área do cóccix, nos pés ou até em algumas áreas da cabeça – têmporas, testa. “A gente tira a atenção da pessoa daquela área dolorida e joga pra uma outra região, fazendo a energia fluir para essa outra parte do corpo”, explica Albino.

 Em casos de dores crônicas, é interessante manter um tratamento freqüente. “Especialmente num primeiro momento, quando a pessoa está com bastante incômodo, recomendo que se faça a massagem duas vezes por semana”, orienta Albino. Depois, o paciente pode ir espaçando as sessões, fazendo uma vez por semana, ou a cada 15 dias.

 No caso de uma escoliose, cifose ou lordose, também se massageiam apenas regiões ligadas às áreas que apresentam dor. “Em casos de desvio na coluna, a musculatura se desloca para proteger as vértebras. Com isso, são criados nódulos que provocam dor. O shiatsu vai trabalhar essa musculatura para que ela se solte, perdendo sua rigidez. Nossas costas funcionam como uma espécie de rede, onde uma coisa influencia na outra”.

 O shiatsu, assim como qualquer outra manipulação manual, tem suas limitações e jamais vai desconsiderar a alopatia tradicional. Por isso, em casos de processos inflamatórios muito graves, como uma hérnia de disco, por exemplo, deve-se ter o acompanhamento de um ortopedista. “O interessante é atuar de forma conjunta pois, muitas vezes, a massagem é o momento que humaniza mais o tratamento”, acredita o profissional.

Fonte: Triada.com.br