Existem dois tipos de Carma

Existem dois tipos de Carma


Uma das grandes preocupações e dúvidas da maioria de nós está relacionada a questões que envolvem o destino. A pergunta que mais fazemos todo o tempo é: afinal, somos livres ou predestinados? Até que ponto temos o poder da escolha, o livre arbítrio? E até que ponto esse poder de decisão existe?
Na verdade existem dois tipos de carma: um que requer nosso esforço e aprendizado para sair e um outro do qual não possuímos saída alguma. Se pararmos para observar nossas vidas e as vidas das pessoas mais próximas a nós, poderemos confirmar essa tese.
Todos passamos por dificuldades em nossas vidas, umas maiores, outras menores. Fases de algum sofrimento, normalmente marcada por trânsitos de Saturno e de extremo sofrimento marcada geralmente por Plutão. Esses dois planetas estão diretamente relacionados com as questões de carma: um que pode ser transformado através de nosso esforço e conscientização e outro que, infelizmente, não podemos transformar, pois faz parte de nosso grande aprendizado de alma.
Existem várias situações para exemplificar o que estou dizendo. Por exemplo: as dificuldades financeiras, os relacionamentos afetivos que envolvam casamento com alcoólatras, drogados, doentes mentais, neuróticos e toda espécie de dificuldades maiores que podemos viver, estão relacionadas com nosso carma transformável através do esforço e da eliminação da ignorância. Quando nos damos conta do porquê de estarmos aguentando algumas situações e nos dedicamos bravamente para entendê-las e sair delas, acabamos por dar um grande passo em nosso processo evolutivo.
Em certa ocasião, um leitor me procurou para que eu explicasse para ele o motivo de sua provação: ele tem dois filhos com paralisia cerebral. Quando me deparei com tamanha impotência e sofrimento, percebi rapidamente que esse é o tipo de carma que não podemos transformar, pois está diretamente atrelado ao destino de nossa alma e mais ainda, de nosso espírito. Não existe saída para esse tipo de situação, pois qualquer decisão pode criar ainda mais carma. A única saída é a resignação aos desígnios de Deus.
Portanto, se estiver passando por alguma espécie de provação, pare para refletir os motivos e as possíveis saídas dessa situação. Muitas vezes nos sentimos impotentes, mas não tomamos a atitude necessária por medo ou dificuldade de enfrentar a vida sozinhos. Reflita, mude o que for necessário e possível e aceite seu destino, caso não tenha outra saída.

 

Fonte : www.terra.com.br 

Autor:     Eunice Ferrari