GESTOS QUE AJUDAM A MEDITAR

GESTOS QUE AJUDAM A MEDITAR

GESTOS QUE AJUDAM A MEDITAR

Descubra a importância dos mudras (poses feitas com as mãos), saiba quais são os principais e o que cada deles favorece durante a meditação e vá além: aprenda a fazê-los!

 

Texto • Geisa D’avo Ilustrações • Luciana Ruivo
 

 

 

Eles estão presentes nas técnicas de meditação do yoga, nas imagens sagradas do Budismo, na dança indiana e em diversos elementos relacionados à cultura e iconografia hindu. Os mudras, essencialmente, nada mais são do que posturas e gestos feitos com a mão com o intuito de estimular e equilibrar os pontos de energia do corpo humano. Mas, por trás de cada um destes posicionamentos, escondem-se significados místicos repletos de sabedoria e tradição.

 

Os mudras na meditação

É importante saber que não apenas a posição dos dedos, mas também a altura do corpo onde o mudra é posicionado, bem como o tipo de mudra escolhido, são fundamentais para que se obtenha o efeito desejado durante a meditação. “Estas escolhas vão permitir que você direcione a respiração, assim como a energia vital do prana para determinada região, agindo, assim, diretamente sobre os chakras”, afirma a instrutora do Espaço Girassol, Ma Prem Adarsha.

Vale lembrar que os mudras são gestos reflexológicos que produzem efeitos sobre o estado mental de quem o pratica, conduzindo as ondas cerebrais para o estado que lhe interessar. Por isso, para selecionar um posicionamento adequado, o ideal é ficar atento ao seu estado mental ou manter-se focado em algum processo de cura e, assim, escolher o mudra que melhor se encaixar no processo que o levará a atingir seu propósito. 

“Os mudras incidem no corpo emocional com muita força e trazem benefícios imediatos, principalmente quando associados a exercícios respiratórios. Mas se você não domina esta ferramenta, não deixe que isso se torne um pretexto para não meditar. A minha sugestão para os iniciantes é o Gyan Mudra, um dos posicionamentos mais fáceis e populares [ver box]”, conclui a instrutora.

 

 

Gyan Mudra

Trata-se do mudra mais comumente utilizado durante a meditação. Com as palmas das mãos voltadas para cima, una a ponta do polegar à ponta do dedo indicador. Os outros dedos permanecem esticados, mas relaxados. 

deal para iniciantes na prática meditativa, já que possibilita um melhor controle respiratório e estimula a tranquilidade, o conhecimento e a capacidade de concentração.

 

Dhyana-mudra

Com as palmas das mãos voltadas para cima, coloque sua mão direita sobre a esquerda, de forma que seus dedos estejam encostados em direções opostas. A seguir, junte a ponta de seus polegares, formando uma esfera.  

Ideal para quem deseja esvaziar a mente por completo e, assim, encontrar a sabedoria interior. Este mudra estimula o contato com a essência individual e possibilita o reconhecimento da consciência universal.    

 

Mudra Kureba

 

Com as palmas das mãos voltadas para cima, junte as pontas dos dedos polegares com as pontas dos dedos indicadores e médios. Dobre os outros dedos em direção ao antebraço. Mantenha a posição em ambas as mãos.

Este mudra é uma contemplação ao deus da riqueza. Por isso, é ideal para quem procura confiança, tranquilidade, serenidade ou ainda para pessoas que estão prestes a tomar uma decisão difícil.

 

Mudra Matangi

 

Com os braços paralelos ao solo, mantenha suas mãos na altura do estômago com as palmas voltadas uma para a outra. Em seguida, entrelace seus dedos, de modo que os dedos médios permaneçam esticados e encostados. 

Este mudra estimula a harmonia interna e a renovação da energia. Portanto, é indicado para quem deseja recuperar o equilíbrio espiritual, ou mesmo para pessoas que sofrem com problemas de digestão e circulação.

 

Mudra da Felicidade

Com os braços paralelos ao chão, levante as mãos para cima com as palmas encostadas. Mantenha-as na altura do diafragma e entrelace os dedos médios de maneira que ambos permaneçam apontados para o solo.

Este mudra afasta a tristeza, a angústia e o sofrimento. É indicado para pessoas que passam por desequilíbrio emocional ou enfrentam qualquer tipo de medo.

Fonte: Triada.com.br