MANUAL PRÁTICO DE BRUXARIA

MANUAL PRÁTICO DE BRUXARIA

MANUAL PRÁTICO DE BRUXARIA

O dom da magia está contido em todos nós, mas, além de querer, é preciso saber como desenvolvê-lo. Veja agora o que é essencial saber antes de decidir se aprofundar (ou não) nas artes da bruxaria – e como dar os primeiros passos

 

Texto • Renata de Salvi


 

Antes de qualquer coisa...

Antes de qualquer iniciativa para desenvolver habilidades místicas, alguns conceitos precisam ficar bem claros. A primeira lição a ser aprendida pelos aspirantes à bruxaria é, certamente, que a imagem pintada nos filmes e livros da bruxa velha, feia e má não passa de ficção.

Ao contrário desse estereótipo, criado em tempos remotíssimos e mantido durante os séculos, até hoje, o verdadeiro objetivo das bruxas é garantir harmonia às suas vidas e ao mundo, no lugar de devorar criancinhas no jantar. Amor, respeito e justiça são premissas que todo bom praticante de bruxaria deve, sem dúvida, perseguir.

Esqueça já a velha idéia dos vôos de vassoura através da madrugada, dos chapéus pontudos e da verruga no nariz. A realidade da bruxaria está bem longe disso.

Descoberta interior

Não existe um teste que revele ou não se você leva jeito para a bruxaria. Da mesma forma, não há idade ou momento ideal para começar a perseguir ensinamentos mágicos – tudo depende de você, da sua vontade e dedicação.

A bruxa Tânia Gori, professora e reitora da Universidade Livre Holística Casa de Bruxa, por exemplo, aprendeu as primeiras lições místicas com sua avó, aos 6 anos de idade. Desde então, dedicou-se intensamente ao estudo do ocultismo e das terapias alternativas. Entre os certificados acadêmicos que coleciona, estão os de graduação em Teologia, pela Faculdade Teológica e Apologética Cristã, e em Sheichim, pelo The Intenational Center of Reiki Training, de Michigam, nos EUA.

É claro que suas habilidades na área foram desenvolvidas desde muito cedo, com o empurrãozinho de sabedorias familiares e cursos. Entretanto, engana-se quem acredita que esse tino místico é uma questão de tradição ou apenas uma dádiva reservada para os ‘escolhidos’. Segundo Tânia, todas as pessoas têm o dom da magia. “Algumas descobrem mais cedo e outras bem mais tarde. É como se fosse o mesmo dom de saber ler ou escrever”, explica.

 

Primeiros passos

O pontapé inicial para ingressar na bruxaria não é aprendido em nenhuma escola. Na verdade, consiste no domínio de um conceito bem simples: amar a natureza e respeitar todos os seres vivos. A partir daí, há um dom à espera para ser desenvolvido: a intuição. E nada melhor para entrar no grupo dos apreciadores do planeta do que ir fundo nas pesquisas e estudos.

A partir de muita leitura, o futuro bruxo precisa entender sobre as leis que regem o universo, a utilização de ervas e cristais, a proteção contra as energias negativas e a leitura dos oráculos. Cada um desses ensinamentos é essencial, pois a falta de informação pode fazer com que, durante um ritual, você atraia energias negativas ao invés de alcançar o objetivo original. Portanto, faz-se necessário o total conhecimento das leis da natureza para garantir equilíbrio para si e para outros. “Os bruxos são conselheiros metafísicos que estão sempre prontos para ajudar o próximo”, explica Tânia.

Apetrechos essenciais

Lembra da tão falada vassoura de bruxa? Ela é um utensílio fundamental, mas, ao invés de ajudar na locomoção, tem o papel de garantir uma verdadeira limpeza energética no ambiente. Os caldeirões também são grandes aliados, pois é neles que os pedidos são mergulhados e as poções são preparadas. E as varinhas também têm uma função e tanto: as bênçãos são feitas por meio dessas preciosidades. Lembrou-se de mais algum objeto inseparável? Os cristais e as ervas não podem faltar no armário de uma boa bruxa. Eles são essenciais em qualquer ritual, das simpatias mais simples para aproximar o amor aos rituais mais complexos – detalhes que as bruxas guardam a sete chaves.

 

Habilidades desenvolvidas

Também não adianta pegar caldeirão, cristais, vassoura e sair por aí acreditando que é uma bruxa. Para que a aprendizagem seja eficaz, aprofundamento teórico e prático são fundamentais. Existem diversas escolas de bruxaria espalhadas mundo a fora, e, nelas, pessoas de diversas profissões estão se dedicando a aprender e desenvolver seu dom. São arquitetos, engenheiros, professores, psicólogos, entre tantos outros. Prova de que não existe perfil acertado sobre um bruxo.

No Brasil, um desses espaços reservados para a magia é a Universidade Livre Holística Casa de Bruxa, em São Paulo, que já formou mais de 5 mil bruxas e magos em 10 anos. Lá, o processo de aprendizagem leva 14 meses, e, só para ter uma idéia, no rico repertório ministrado pela universidade estão conceitos sobre alquimia, astrologia, cromoterapia, cristais, chakras, feng shui, danças sagradas, filosofia, florais, fitoterapia, meditação, reiki, kaballah, entre tantos outros temas. Após tantas descobertas sobre seu interior e o universo, as bruxas já estão adequadamente munidas para buscar o equilíbrio do planeta.