YOGA NO FRIO? COM CERTEZA!

YOGA NO FRIO? COM CERTEZA!

YOGA NO FRIO? COM CERTEZA!

O inverno chegou e você anda sem pique para atividades físicas? Confira, a seguir, dicas yogues especialíssimas para manter as energias em dia no tempo frio: de boas posturas para aquecer o corpo a dicas espertas de alimentação. Aproveite!

 

Texto • Thiago Perin


 

Corpo e alma em sintonia

Quando a temperatura cai, todos nós tendemos a ficar mais quietinhos, num humor contemplativo. Para ir junto a esse estado e equilibrar o humor, uma boa idéia é focar sua prática em posturas que abrem o peito, como Dhanurasana (postura do arco) e Ustrasana (postura do camelo). É um momento propício, também, para focar a série em posturas suportadas pelas mãos, como Bakasana (postura do guindaste).

Outra dica especial: o tempo frio faz com que você precise gastar um tempinho a mais aquecendo seus músculos antes de começar a praticar de verdade. Iniciar com uma Saudação ao Sol (veja aqui o passo a passo) é uma boa ideia, e deve-se ir de um asana para outro com leveza e atenção especiais. Você pode sentir o corpo um tanto enferrujado e as juntas doloridas nesse clima, então vá com bastante calma.
 

Dhanurasana (postura do arco)

1 – Deite-se de barriga para baixo, mantendo suas mãos ao lado do tronco e as palmas para cima.

2 – Expire e dobre seus joelhos, levando os calcanhares o mais perto possível dos quadris. Agarre e segure seus tornozelos com as mãos.

3 – Inspire e levante os tornozelos, afastando-os dos quadris. Ao mesmo tempo, levante suas coxas, afastando-as do chão.

4 – Pressione os ossos do quadril contra o solo e mantenha seus músculos traseiros relaxados.

5 – À medida que for levantando os tornozelos e as coxas, empurre seus ombros firmemente de encontro ao quadril e puxe-os para longe das orelhas. Sua cabeça aponta para frente.

6 – Permaneça na posição de 20 a 30 segundos.

 

Ustrasana (postura do camelo)

1 – Ajoelhe-se no chão e mantenha suas coxas perpendiculares ao solo. Incline seus quadris ligeiramente para frente, mantendo-os firmes.

2 – Imagine que você está puxando seus ossos para cima em direção ao tronco. Mantenha o bumbum relaxado e pressione as pernas e o peito dos pés contra o chão.

3 – Acomode suas mãos na parte traseira da bacia com as palmas na altura dos quadris e os dedos para baixo. Use suas mãos como base para longar o quadril para baixo.

4 – Em seguida, incline-o levemente para a frente.

5 – Recline para trás, descendo os ombros em direção ao quadril. Por um tempo, mantenha sua cabeça erguida, queixo perto do tórax e mãos na bacia.

6 – Mantenha-se nessa postura de 30 a 60 segundos.

 

Bakasana (postura do guindaste)

1 – Agache-se, na ponta dos pés, e dobre o tronco para frente, de modo a posicionar seus ombros na altura dos joelhos. Pressione seus joelhos nas axilas, se assim preferir.

2 – Com as costas dos braços contra os tornozelos, eleve o peito e a cabeça. Abrace as laterais do tronco com o interior das coxas.

3 – Sem colocar peso nos braços, mantenha o peito elevado, empurrando o abdômen para dentro. Permita aos quadris elevarem-se ao nível dos ombros.

4 – Empurre o corpo para frente e leve os cotovelos acima das mãos. Mantenha o peito elevado. Sinta o peso sendo transferido dos pés para as mãos.

5 – Empurre os cotovelos acima dos dedos das mãos, enquanto eleva o tórax. Use o abdômen e as coxas para manter os quadris sobre os ombros. Empurre para frente, trocando o peso para as mãos, e eleve o peito.

6 – Fique nessa posição entre 20 segundos e um minuto.

 

 

 

Alívio para os resfriados

Das coisas mais comuns em períodos frios é sermos pegos por aquele resfriado chato. Além da moleza que o vírus causa, estar com o nariz entupido pode realmente dificultar a sua prática de yoga, tornando pranayamas quase impraticáveis e alguns asanas bem desconfortáveis.

Uma boa ideia nesses casos é usar a técnica yogue para limpeza das vias nasais, o jala neti. O procedimento é bem simples: misture uma colher de chá de sal em cerca de 300 ml de água morna em um bule próprio, chamado lota, que você vê ao lado e pode encontrar em lojas especializadas e também em muitas escolas de yoga. Com o líquido pronto, fique sobre uma pia, incline a cabeça para um lado e insira o bico do lota em uma das narinas, permitindo que a água flua por dentro do nariz e saia pela outra narina. Depois, faça o mesmo no lado oposto.

O jala neti pode ser feito várias vezes ao dia quando bate o resfriado, e também ajuda bastante no combate às crises de rinite e sinusite.

Calor, estilo e muito conforto

Blusas grossas, tecidos pesados e acessórios de inverno definitivamente não combinam com yoga. Afinal, apesar de esquentarem o corpo, eles prejudicam a mobilidade e podem te deixar bem desconfortável. Vale sim a pena investir em um traje mais aconchegante e protetor para não passar frio durante os asanas, mas procure peças que não comprometam a prática. Quer uma dica? Dê uma olhada nas peças da marca paulista Yogini, especializada em roupas e itens para yoga.

 

Pele seca? Nada disso!

Não tem jeito: a baixa umidade e o vento gelado do inverno sempre acabam deixando nossa pele ressecada, implorando por uma boa hidratação. Nesse caso, nada como um bom creme ayurvédico para deixá-la macia e gostosa de novo!

Uma receitinha caseira bem tradicional na Índia é aquecer um pouco de leite em fogo normal, até que ele comece a formar nata. Então, retire apenas a nata com uma colher, e adicione a ela algumas gotas de suco de limão (pode ser também água de rosas). Misture até virar um creme, espalhe sobre a pele e deixe entre 30 minutos e duas horas antes de enxaguar com água.

Esse hidratante natural protege a pele dos efeitos nocivos da estação gelada, seja o rosto ou qualquer outra parte do corpo.

 

Acalme a mente, ganhe energia

Meditar pode ajudar a aquecer os músculos, estimular a consciência corporal e trazer aquela bem-vinda dose de energia e disposição que tanto precisamos nos dias frios. Siga esse passo-a-passo no período da manhã, sempre que sentir necessidade:

 Em um colchonete (ou, se preferir, na cama), deite-se de barriga para cima, de um jeito que ache confortável.

• Coloque um apoio sob a cabeça e, caso sinta necessidade, outro embaixo dos joelhos. Relaxe todos os membros do corpo.

 Volte toda sua atenção para o ar que entra e sai das narinas. Respire lentamente e afaste quaisquer pensamentos, focando apenas a respiração.

• Quando relaxar, foque-se em seu braço direito. Perceba o braço e, lentamente, vá tencionando e enrijecendo o membro desde o pulso até o ombro, com a mão bem fechada.

 Com o braço rígido, eleve-o a aproximadamente 20 centímetros do colchão e segure a posição por alguns segundos. Depois, solte e deixe o braço cair de uma vez, sentindo seu peso.

 Repita o mesmo processo três vezes, e depois faça o mesmo com o braço esquerdo. Depois é a vez das pernas. Tencione cada uma dos dedos dos pés até a virilha, eleve-a, segure e solte.

 Por fim, faça o mesmo procedimento com a cabeça, tencionando o pescoço.

• Quando terminar, ainda com os olhos fechados, vá aos poucos percebendo o ambiente ao redor, até sair do estado meditativo.

 

Estômago em ordem

 

Nas épocas frias, acabamos comendo mais, dormindo mais, nos movimentando menos e, consequentemente, ganhando alguns quilinhos extras. Para o ayurveda (ciência indiana considerada irmã do yoga), essa é a forma que nosso corpo encontra para se manter aquecido. Quando a temperatura cai, o fogo digestivo, chamado de agni, precisa estar em pleno equilíbrio, para que o sistema imunológico não falhe e doenças oportunistas tomem conta do seu organismo. Então, anote a dica: é hora, mais do que nunca, de incorporar ervas e temperos quentes, como cardamomo, canela, gengibre, mostarda, orégano e pimenta, à sua dieta!

 

Vai uma sopinha aí?

Quentinha, saudável e deliciosa, essa sopa de feijão e tomate não leva mais do que 20 minutos para ficar pronta e rende duas porções. Se quiser, você pode substituir o feijão branco pelo roxo ou por alguma outra leguminosa de sua preferência, como lentilha e grão-de-bico. Que tal?
 

Ingredientes:

1 colher de sopa de azeite de oliva
1 cebola picada
1 dente de alho picado
1 pimentão vermelho grande, sem miolo e sem sementes, picado
400 g de tomates pelados e picados
1 colher de sopa de purê de tomate
½ colher de chá de páprica
400 g de feijão-branco cozido
1 ramo grande de tomilho fresco ou ½ colher de chá de tomilho seco
500 ml de caldo de legumes
Manjericão fresco picado, para guarnecer.
 

Modo de preparo:

Esquente o azeite de oliva em uma panela de fundo grosso, adicione a cebola, o alho e o pimentão e refogue até ficarem tenros, mas não dourados. Adicione os ingredientes restantes, sempre mexendo. Deixe levantar fervura, reduza o fogo e apure por 15 minutos. Para criar uma apresentação bonita na hora de servir, salpique as folhinhas de manjericão por cima. 

Fonte: Triada.com.br