YOGA + SEU ESPORTE PREFERIDO

YOGA + SEU ESPORTE PREFERIDO

YOGA + SEU ESPORTE PREFERIDO

Associar essa prática milenar a um esporte é uma forma de potencializar os benefícios de ambos e garantir segurança total em atividades físicas mais puxadas. Saiba agora como estabelecer essa parceria de sucesso

 

Texto • Geisa D'avo


 

Que tal se preparar para aquela desgastante aula de boxe realizando, diariamente, os 12 asanas que compõem a Saudação ao Sol, uma das mais famosas sequências yogues? Ou então recorrer às técnicas do yoga para relaxar a mente e o corpo após uma longa e energética corrida? Se a ideia de conciliar atividades com propostas tão diferentes lhe parece absurda, continue lendo e descubra o que você está perdendo.

Atletas dos mais diversos esportes (e níveis) – como o ex-tenista americano Pete Sampras, vencedor de 14 torneios Grand Slam, e a ex-triatleta sul-africana Paula Newby Fraser, oito vezes campeã mundial – descobriram nos ensinamentos do yoga um grande aliado para sua evolução física e técnica. E é claro que tal benefício não é exclusividade dos esportistas profissionais.

“Quem pratica qualquer esporte, seja amador ou profissional, precisa de muita concentração, resistência e equilíbrio, assim como bom condicionamento cardiovascular e respiratório. O yoga pode desenvolver todos esses aspectos”, afirma o preparador físico Luiz Albertini, idealizador do YogaSports, um método para esportistas desenvolvido totalmente com base na filosofia corporal indiana.

É isso aí: praticado antes ou depois da atividade esportiva, o yoga pode fortalecer seu condicionamento muscular, aquecendo e alongando os músculos em preparação para o exercício que vem em seguida, ou então relaxando corpo e mente após todo o esforço físico. Descubra mais nas páginas a seguir! 


 

Seja qual for seu objetivo ao aderir à corrida (participar de maratonas, queimar uns quilinhos extras ou simplesmente exercitar os músculos), o yoga pode ajudá-lo ao longo do percurso. Quem constatou isso por conta própria foi o advogado Oswaldo Retz, que há três anos participa de competições de rua e, há um, concilia o hábito de correr com a prática de asanas.

“Tenho um encurtamento na parte posterior do joelho que está sendo resolvido graças ao yoga. Além disso, minha capacidade de concentração melhorou muito desde que aprendi a respirar corretamente com os pranayamas. Aliás, a respiração se tornou um grande trunfo para mim, não apenas no esporte, mas também na minha vida profissional. Hoje, quando me vejo diante de algum estresse, tenho grande facilidade em manter o controle emocional apenas controlando a inspiração e a expiração”, conta o advogado.

Uma boa pedida para otimizar sua performance nas corridas, segundo o preparador Luiz Albertini, é praticar o asana Adho Mukha Svanasana (postura do cachorro olhando para baixo), que alonga os músculos posteriores do corpo e fortalece bastante os pés e tornozelos – preparação mais do que necessária para quem vai botar as pernas para funcionar. Além disso, esse asana ajuda a revitalizar o físico após o treino, aliviando o cansaço e prevenindo possíveis dores chatas. “Ele acalma a mente e desacelara os batimentos cardíacos, além de aliviar tensões nos ombros e dores nos calcanhares”, explica.

 


 

A estudante Cindy Ferreira, de 16 anos, decidiu, há alguns meses, investir pesado no treino para se tornar uma hábil tenista. Mas, para atingir este objetivo, faltava a ela certa agilidade e concentração – elementos que foi buscar e encontrou na prática milenar. “O yoga oferece um autocontrole muito necessário para praticar qualquer esporte, além de trabalhar equilíbrio e respiração, aspectos essenciais para o tênis. Pude notar uma série de melhorias dentro das quadras, e também fora delas. Hoje, sinto que tenho mais consciência das minhas atitudes, seja para jogar uma partida, para realizar uma prova, ou em qualquer outra situação. E é claro que minha performance como tenista melhorou bastante”, conta a jovem.

Para obter os mesmos resultados que Cindy,  os jogadores de tênis podem investir nos asanasPurvottanasana (postura do alongamento frontal) eChakrasana (postura da roda). “O primeiro fortalece grupos musculares dos ombros, braços, punhos e coluna lombar, enquanto o segundo alonga o peitoral, os ombros, a coluna torácica e o quadril. São posturas que, principalmente, tonificam a coluna vertebral como um todo”, explica Albertini.

 


 

Para potencializar ainda mais o efeito das pedaladas, a dica é praticar Virabhadrasana II (postura do herói). Antes do exercício, ele alonga pernas e coxas, prepara pés e tornozelos, e fortalece abdômen e coluna. Depois do treino, ajuda a aliviar possíveis dores na lombar e nos glúteos – que podem surgir caso você fique muito tempo na bicileta. “Também é ótimo para desenvolver resistência física e estimular a força de vontade”, diz Albertini.

 


 

Essa pode parecer a mais contraditória das combinações, mas o yoga contribui (e muito!) para a boa prática do boxe. Basta lembrar que esse é um dos esportes que mais exige equilíbrio, concentração e foco total no momento presente. E, afinal, que outra prática senão o yoga para forta-lecer todos esses aspectos de uma só vez? “Com o asanaVirabhadrasana III (variação da postura do herói) é possível desenvolver a estabilidade articular das pernas e fortalecer os grupos musculares dos pés, tornozelos e da coluna lombar, o que certamente ajuda no equilíbrio do pugilista. Já a concentração, é claro, é treinada por todas as posturas do yoga”, recomenda o preparador físico.

 


 

Para alguns, uma dança. Para outros, uma arte marcial atípica. Seja como for, há muitos elementos que aproximam a capoeira de qualquer atividade esportiva: além de trabalhar quase todos os grupos musculares, a sua prática exige muito equilíbrio, flexibilidade e concentração. Por isso, o yoga também pode ser extremamente útil ao capoeirista, como conta o professor de capoeira Luiz Carlos Oliveira.

“Muita gente pensa que ser forte é essencial para ser um bom capoeirista, mas de nada vale a força se você não souber como equilibrá-la e utilizá-la a seu favor. Ter o domínio do próprio corpo é crucial para a capoeira, e isso só é possível se você tiver consciência de si mesmo”.

 

Para atingir esta meta com o yoga, a dica de Luiz Albertini é praticar o asana Utthita Hasta Padangusthasana(postura estendida com a mão no dedo do pé), que, além de alongar os músculos de quase todo o corpo, dá uma bela mão no desenvolvimento da estabilidade das pernas.

Fonte: Triada.com.br